Conselhos

Como prender uma prancha na coluna


Acidentes com veículos motorizados, lesões de mergulho e outros eventos traumáticos podem causar danos à coluna vertebral e medula espinhal. Os nervos que saem da medula espinhal são responsáveis ​​por todos os movimentos do corpo, incluindo a capacidade de respirar. É de vital importância lidar adequadamente com uma pessoa que possa ter algum dano à coluna vertebral. Existem dois tipos principais de placas da coluna vertebral: uma prancha curta e uma prancha longa. Uma pranchinha é usada para lesões que envolvem apenas a coluna cervical ou o pescoço. Uma prancha longa pode ser usada para qualquer lesão na coluna vertebral ou trauma envolvendo mais de uma parte do corpo.

Estabilize manualmente a coluna cervical da pessoa ferida enquanto uma segunda pessoa recupera a tabela e o colar cervical. A pessoa ferida pode estar na posição vertical se a lesão estiver isolada no pescoço ou deitada de costas.

Aplique a coleira cervical e continue a manter a coluna estável, colocando as mãos na parte externa da coleira.

Posicione a prancha longa no chão ao lado da pessoa ferida. Instrua ajudantes adicionais a se alinharem com os ombros e quadris da pessoa ferida.

Siga a liderança da pessoa que estabiliza a cabeça da pessoa ferida. Na contagem de três, faça rolar a vítima para um lado. Traga a prancha longa até a parte de trás, segure a prancha contra o corpo e, usando a contagem de três, faça rolar com a prancha no chão. Mantenha o corpo da pessoa ferida alinhado durante todo o processo. Ao usar um encosto curto, mantenha a estabilização manual da coluna cervical da pessoa, pois o encosto curto é colocado atrás dele.

Prenda a pessoa ferida na tabela longa ou curta, começando com o tronco. Traga a primeira tira sob os braços, em volta do quadro e aperte. Repita com uma tira nos quadris e pernas na longa tabela. Preencha as lacunas entre a placa e as laterais do corpo da vítima com toalhas enroladas.

Imobilize a cabeça na testa e no queixo. Depois que a cabeça está segura, a estabilização manual do pescoço não precisa continuar. O colar cervical deve permanecer no lugar o tempo todo.

Deslize os braços da pessoa sob a alça sobre a pélvis ou cruze os braços sobre o peito e prenda-os frouxamente nos pulsos com um curativo macio. Levante a prancha e mova-a para o local desejado, seguindo as instruções do socorrista na cabeceira da tabela.

Assista o vídeo: OLHA COMO EU PRENDO AS VIGOTAS DO TELHADO (Agosto 2020).